~notícias fresquinhas

~ Propostas CRIATIVAS para ...

~ Posters dos grupos para a...

~ trabalhos finais dos alun...

~ Colóquio do grupo de Econ...

~ Acessibilidades

~ Grupo de Economia e Inova...

~ Assembleia Jovem de Silve...

~ Relatórios de Março de 20...

~ Relatórios de Fevereiro d...

~ Agenda Cultural de Abril

~sótão

~ Junho 2008

~ Maio 2008

~ Abril 2008

~ Março 2008

~ Fevereiro 2008

~ Janeiro 2008

~ Dezembro 2007

~ Novembro 2007

~ Outubro 2007

~o que procuras?

 

~Sabias que...

...o nosso concelho tem cerca de 34000 habitantes e é o maior em área do Algarve?

~Conclusão:

há muito espaço em branco e dificuldade em preenchê-lo... para bom entendedor....

~visita o site da C.M.S.

Município de Silves

~visita o site da nossa escola!

Escola Secundária de Silves

~as nossas freguesias

Alcantarilha Armação de Pêra Tunes S.B. Messines Algoz S. Marcos da Serra Silves Pêra

~tags

~ todas as tags

Sábado, 31 de Maio de 2008

trabalhos finais dos alunos

Economia e Inovação em Silves

 

Sociedade em Silves

 

Ciência e Tecnologia em Silves

 

Acessibilidades em Silves

 

Cultura em Silves

 

Ambiente em Silves

genialmente escrito por CriaXelb às 18:22
| a tua opinião faz a diferença! comenta! | adiciona-nos como favorito!
Terça-feira, 27 de Maio de 2008

Colóquio do grupo de Economia & Inovação

O grupo de Economia & Inovação tem o prazer de anunciar que quarta feira, dia 28 de Maio, pelas 17 horas, na Fissul, durante o Fórum anual de Educação e Desporto, se irá realizar um colóquio relacionado com o tema, organizado por nós. Onde será possivel discutir ideias sobre o desenvolvimento económico e inovador na cidade de Silves.

 

Contamos com a vossa presença!

 

 

 

 

Quinta-feira, 22 de Maio de 2008

Acessibilidades

Chegamos ao fim deste projecto. Faltam menos de duas semanas para que as aulas terminem e está na hora de fazer um balanço/reflexão sobre o trabalho realizado ao longo de todo este ano lectivo, percebendo se os objectivos que inicialmente propomos foram ou não cumpridos. Em síntese, o grupo de Acessibilidades concluiu que, tal como inicialmente planeado:

 

- Identificou os pontos fortes e os pontos fracos/ barreiras existentes na Escola e na Cidade.
- Elaborou um plano de propostas de melhoramento/eliminação dessas mesmas barreiras e apresentou-as a entidades competentes.
- Realizou questionários a alunos da Escola e entrevistas a pessoas portadoras de deficiências e à Exma Senhora Presidente da Câmara Municipal, Dra. Isabel Soares.
- Percebeu que barreiras encontravam diariamente as pessoas portadoras de algum tipo de deficiência.
- Sensibilizou e mobilizou a população para o problema das Acessibilidades e da Igualdade de Direitos.
- Elaborou o relatório e o poster solicitado pelo Concurso.
- Divulgou o projecto à comunidade através de um placar, de panfletos, do blog, da Assembleia Jovem e do Jornal Terra Ruiva (notícia a que é possível ter acesso através do link http://rapidshare.com/files/116780218/Cidades_Criativas.jpg.html), e acabará a divulgação com a presença na Fissul e a presença na Rádio.
- Apresentará o trabalho desenvolvido ao longo do ano no dia 28 de Maio ou no dia 4 de Junho, dependendo do sorteio realizado.
 
Assim, de acordo com a Questão Problema inicialmente formulada Como melhorar a Cidade de modo a que tenha mais Acessibilidade para as pessoas com deficiências?, apontámos, em traços largos, as propostas de alterações por nós sugeridas.
 
Na Escola, as nossas propostas passam pela colocação de rampas nos degraus de acesso ao bar, à sala do aluno, ao auditório e às casas de banho, bem como à entrada do edifício desportivo, por ter acesso para a cantina. Passam ainda pelo rebaixamento dos balcões de locais como a reprografia e o bar ou pelo alargamento da papelaria, bem como a aquisição de um elevador que se coloque nas escadas e que permita transportar os alunos deficientes para os pisos superiores. Achamos ainda relevante que, no que toca às casas de banho, visto que uma cadeira de rodas não consegue entrar nas cabines, se juntem duas cabines e se adapte uma para deficientes, já que é essencial que todos os alunos da Escola tenham iguais oportunidades.
 
 
Na Cidade, as nossas alterações passam pelo rebaixamento de passeios de modo a adaptar Silves o mais possível, adquirir autocarros adaptados e colocar sonorização nos semáforos. Existem ainda os obstáculos (como candeeiros) colocados no meio dos passeios, problema que se resolve com a colocação de iluminação de parede, que não se torna uma barreira à mobilidade. No que toca a espaços públicos como a Câmara e a nossa sugestão passa pela colocação dos serviços num outro edifício, completamente adaptado e acessível a todos. Os CTTs, talvez uma melhor organização do espaço seja o ideal e quanto aos bancos, os problemas centram-se nas caixas multibanco, o que se resolve com a colocação de uma caixa mais abaixo, permitindo que todos a possam utilizar.
 
 
Para mais informações acerca do tema trabalhado durante todo o ano lectivo, sugerimos que consultem o link:
http://www.sendspace.com/file/6ojb78
                                                
estamos: Acessíveis!
Sábado, 3 de Maio de 2008

Grupo de Economia e Inovação com a Presidente de Silves

Numa das últimas fases do nosso trabalho decidimos que estava na altura de fazermos propostas para um melhoramento da nossa cidade, para tal achamos que seria importante saber que propostas a câmara municipal já tem para não propormos ideias iguais. Marcamos, então, uma reunião com a presidente da câmara municipal de Silves, Isabel Soares, com um objectivo de saber os pontos fortes e fracos da cidade, que propostas para esta estão feitas e propormos nós algumas das nossas ideias.
Na reunião achamos de muito interesse mostrar à Sra. Presidente os resultados de algumas perguntas dos inquéritos que fizemos a população e aos alunos da nossa escola, comentando estes e tomando em consideração o que a Sra. Presidente tinha a dizer sobre os mesmos.
Na discussão das propostas que se encontram feitas pela parte da câmara passamos então a nomear as que tomamos mais em conta e, que, algumas delas, eram iguais às propostas que íamos colocar:
· Agenda 21 local, principal objectivo desta agenda é envolver mais os cidadãos e as organizações locais, cívicas, comunitárias, comerciais e industriais, no desenvolvimento e melhoramento do município;
· A colocação de uma rede de transportes dentro da cidade, com um autocarro vistoso e, para uma menor poluição do ambiente, a bio diesel ou eléctrico;
· Parques de estacionamentos em pontos estratégicos, para que não haja uma tanta utilização de veículos no interior da cidade;
· Um desenvolvimento hoteleiro, contribuindo, de certa maneira, para o turismo;
· Um sistema de aluguer de bicicletas, para uma maior utilização da circovia, já existente, e, dentro da cidade, a existência de menos trânsito;
· Implantação de energias alternativas nas escolas e na câmara municipal.
Das propostas que nós tínhamos e que não estão inseridas nas acima mencionadas são:
· O desassoreamento do rio, que consiste numa limpeza, por assim dizer, do rio. O que é certo é que já há muito tempo que se tem vindo a falar neste assunto e não se viu nada ser feito, foi uma questão que colocamos à Sra. Presidente, e ela nos explicou que este desassoreamento seria um ponto muito positivo para a cidade, mas por falta de verbas e apoios que contribuíam não é possível efectuar o mesmo.
· A implantação de novas tecnologias seria possível ou não? Sim, foi a resposta, podem sempre ser, só é necessário que haja apoio técnico a nível informático.
 
As conclusões que tiramos da reunião com a Sra. Presidente, e que não é um facto escondido, é que não há verbas para implantar todas as propostas feitas para a cidade, ideias como vimos, e aqui foram apenas mencionadas algumas, não faltam, o que falta é verbas e apoio financeiro de terceiros, que, de uma ou de outra forma, também tenham a ver com o assunto. Outro ponto a apontar é que a nossa cidade, e aqui toda a população concorda, tem uma população envelhecida, ou seja, a faixa etária que se destaca é a dos 50 anos para cima, o que, para o desenvolvimento de uma cidade, não ajuda em nada. Podemos também mencionar o facto de não haver muita procura a nível comercial, muitas pessoas preferem ir às grandes superfícies, como por exemplo os shopings, em vez de decidirem investir no comércio do município.
O que é certo é que a população queixa-se, e com razão claro, mas tomar atitudes é um pouco mais complicado. Há uma necessidade de chamar as pessoas à razão e explicar-lhes que uma cidade não depende apenas de um presidente e de uma câmara para se desenvolver, é preciso que a população também tenha a iniciativa de ajudá-la a desenvolver, utilizando aquilo que ela tem para oferecer. 
 
genialmente escrito por CriaXelb às 00:45
| a tua opinião faz a diferença! comenta! | adiciona-nos como favorito!